Saiba o quanto cobrar pelas suas peças de artesanato

quanto cobrar pelas suas peças de artesanato

Uma das maiores dúvidas de qualquer artesão ou artesã é o quanto cobrar pelas suas peças de artesanato. É muito comum mostrar às pessoas as peças que você mesmo confeccionou e ouvir aquela pergunta: “você faz para vender? Quanto você cobra se eu fizer uma encomenda?”

Se você já trabalha há algum tempo vendendo suas produções de artesanato, esta pergunta não é um problema; mas se você foi pega de surpresa, então provavelmente surgiu aquela preocupação sobre estar cobrando barato demais ou exagerando no preço.

Mas afinal, quanto cobrar pelas suas peças de artesanato?

Para ajudar com esse medo de errar feio na hora de cobrar, nós aqui da Quilteria separamos alguns pontos a se levar em conta ao estabelecer os valores. Confira só!

Estabelecer horários de trabalho

Mesmo que você não trabalhe em uma empresa, ou tenha um cartão de ponto que precise cumprir todos os dias, toda atividade profissional requer um período de tempo preestabelecido para que haja disciplina no trabalho.

É claro que, trabalhando em casa por conta própria, você terá um pouco mais de liberdade em relação aos horários de almoço, ou consultas ao médico e qualquer compromisso que possa surgir de última hora.

quanto cobrar pelas suas peças de artesanato

E nada impede que você defina um período para tirar férias e descansar também!

É importante definir quantas horas serão trabalhadas no período de um mês, pois assim fica muito mais fácil para decidir qual será o valor cobrado pela hora de trabalho. Este é um ponto muito importante para entender o quanto cobrar pelas suas peças de artesanato.

Definir quanto deseja receber pelo seu trabalho

Há duas maneiras para entender o que esperar de sua remuneração, e alguns pontos para se atentar!

Primeiro você pode definir um valor médio que você gostaria de receber como salário, ou seja, o valor em dinheiro que ficará para você como pagamento pelo seu trabalho.

Mas cuidado! O valor estabelecido deve ser tão bom para você quanto para o cliente.

quanto cobrar pelas suas peças de artesanato

Em seguida, faça um levantamento das melhorias que você gostaria de realizar em seu ateliê, materiais que você precisa comprar, cursos que você gostaria de fazer, livros, materiais didáticos, maquinaria e outros.

Defina então um valor que você gostaria de receber mensalmente, levando em conta o salário e o que você gastará em investimentos para o seu trabalho.

Definir o quanto será gasto com materiais para a confecção de cada produto

Todo produto artesanal demanda vários tipos de materiais para sua confecção, seja as linhas utilizadas para a costura, os tecidos, os botões e demais materiais que dão aquele detalhe tão especial na sua produção.

quanto cobrar pelas suas peças de artesanato

E estes materiais têm seus próprios custos! Portanto é importante repassar estes custos na ponta do lápis no preço final do seu produto, para que o valor cobrado seja justo e você não saia no prejuízo!

Produtos que vão na embalagem do produto, como saquinhos plásticos, caixinhas, adesivos, laços e fitas também entram na somatória dos gastos com materiais para a produção.

Então como cobrar?

É bem simples! Você pode seguir dois caminhos no momento de decidir o quanto cobrar pelas suas peças de artesanato.

Some o que gostaria de receber no fim do mês (seu salário livre e o valor que gostaria de investir em seu próprio negócio) e divida o valor pelo tanto de horas que você separou para o trabalho, então terá o custo da sua hora de trabalho.

Quando um cliente, ou potencial cliente, questionar sobre o valor de suas peças de artesanato, é só definir quanto tempo será gasto para a produção de cada peça e multiplicar pelo valor estabelecido por hora de trabalho.

quanto cobrar pelas suas peças de artesanato

A partir deste cálculo você terá parte do preço do seu produto referente ao tempo dedicado para a produção. Some a este valor o quanto foi gasto com materiais e terá o preço de sua peça de artesanato!

Outro ponto importante a ser levado em consideração é o fato de algumas peças maiores demandarem um tempo menor de produção. Ou seja, nosso cálculo anterior já não deve ser aplicado nesta peça em questão.

Como podemos contornar esta situação? É bem fácil!

Uma dica muito útil é desconsiderar o cálculo de horas trabalhadas (uma vez que uma peça grande, porém com menos detalhes, pode levar em torno de 2 horas para confecção), e multiplicar o total de gastos com os materiais por 3.

Desta forma você consegue cobrir os valores gastos com a compra dos materiais e obtém seu lucro sem excessos!

Mas atenção!

O valor do frete é de acordo com a localização do cliente, portanto não deve ser somado ao valor da peça!

Caso você opte por vender suas peças de artesanato pela internet, ou precise realizar uma entrega em um endereço muito distante do seu, deixe claro ao cliente que o valor do frete não faz parte do preço da sua peça e que pode variar de acordo com a região em que reside.

Agora que você já sabe de todas estas dicas, que tal se aprofundar ainda mais em conhecimentos e técnicas sobre artesanato e alavancar seu empreendimento?

 

Gostou de nosso conteúdo? Deixe nos comentários suas experiências ou outras dicas sobre o quanto cobrar pelas suas peças de artesanato! E fique de olho em nosso blog!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *